O encontro foi ministrado para secretários paroquiais.

 A Lei de Proteção de Dados, LGPD, tem sido bem discutida nos últimos anos pois se trata da proteção de informações pessoais. Para entender mais sobre o assunto, os Secretários Paroquias, responsáveis pelos atendimentos nas paróquias, tiveram a oportunidade de aprender, e tirar dúvidas, sobre a Lei. A formação aconteceu na última quinta-feira (06), no Centro de Formação para o Apostolado de Santos, CEFAS.

O palestrante foi Davi Massarelli, graduado em Direito e pós graduado em Direito Digital. Atualmente, ele é responsável pela parte de LGPD na Sociedade Visconde de São Leopoldo.

O que é a LGPD? A Lei de Proteção de Dados, inspirada na General Data Protection Regulation, aborda o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais da liberdade e de privacidade. Aprovada em 2018, a LGPD começou a ter efeito no país a partir de 2020, e ainda gera dúvidas em muita gente.

"Os secretários, mais do que ninguém, têm contato direto, e diário, com essas informações pessoais, sejam nome de pessoa, CPF, RG. Então eles precisam entender a importância de guardar essa informação com cuidado e compreender principalmente a entrada da LGPD em vigor que traz um nível maior de segurança a essas informações", afirma Massarelli.

O advogado analisa que é importante executar um "mapeamento de dados" nas paróquias. "O mapeamento nada mais é do que você entender tudo de informação que você tem, em que locais estão armazenados nomes, RG, CPF, dados pessoais de saúde, dados pessoais e sensíveis, dados de criança e adolescente, e catalogar isso. Não de forma necessariamente específica, mas de forma geral", explica.

Massarelli também apresentou alguns dos principais ataques digitais, como por mawares (Cavalo de Tróia e ransomware) e por meio de email (Spam, Phishing, Spyware). Ele disse que as melhores formas de preveni-los são por backups periódicos em locais diferentes, não compartilhamento de arquivos pessoais, tomar cuidado ao abrir arquivos de terceiros e usar senhas fortes em computadores e redes.

Ao final, o Bispo Diocesano de Santos, Dom Tarcísio Scaramussa, SDB, reafirmou a responsabilidade dos Secretários Paroquias ao lidar com dados pessoais e agradeceu a participação de todos. "Precisamos ter esta atenção, este cuidado e procurar fazer o melhor possível. Eu agradeço por terem aceitado o convite para participar desta formação, procurando se atualizar, para podermos cada vez mais melhorar nosso trabalho e executa-lo com mais qualidade".